Treinamento Funcional – O que é e como funciona

VEJA AS VANTAGENS E DESVANTAGENS DO TREINO FUNCIONAL. DESCUBRA SE REALMENTE É IDEAL PARA VOCÊ.

Os treinos funcionais são uma modalidade que vêm ganhando muito destaque ultimamente, e agradam pessoas que querem perder barriga rápido (mas longe dos aparelhos de musculação).

Ao contrário dos treinos de musculação convencionais, que se focam em grupos musculares isolados, o funcional trabalha o corpo de forma global, isto é, vários grupos musculares por exercício.

Os exercícios funcionais promovem a melhora do condicionamento físico e da força corporal, além de oferecerem também ganhos de flexibilidade, mobilidade e coordenação.

De modo geral, o peso do corpo é a principal carga de resistência usada nos exercícios. No entanto, o treinamento funcional também se vale de alguns acessórios e equipamentos específicos, facilmente disponíveis no mercado.

Os principais acessórios usados são a bola suíça (aquela de pilates), o cinto de tração, a medicine ball, o kettlebell e as faixas elásticas. Mas há uma variedade muito maior de acessórios e equipamentos que podem ser usados, tudo depende do estilo de aula do seu instrutor.

 

TREINO FUNCIONAL É MELHOR QUE MUSCULAÇÃO?

Muita gente nos escreve com essa dúvida, mas a verdade é que a resposta varia de pessoa para pessoa, de objetivo para objetivo.

A musculação é uma escolha razoável para quem está sedentário há mais tempo e deseja voltar a se exercitar e viver uma vida saudável. Quando combinada com uma alimentação adequada, funciona bem para enrijecer a musculatura.

Contudo, por conta de sua característica de trabalho em aparelhos e rotinas de progressão, os treinos de musculação podem se tornar repetitivos e perder a eficácia rapidamente.

Ao contrário da musculação, o treinamento funcional é muito mais dinâmico e variado (tanto em diversidade de exercícios como em variação de intensidade), além de proporcionar resultados mais duradouros.

Por outro lado, é mais difícil executar a progressão das cargas. Quando a pessoa começa a evoluir no treino funcional, o que costuma aumentar é a intensidade de execução dos exercícios e não o peso dos acessórios.

A seguir vamos ver melhor os benefícios e desvantagens do funcional, para que você possa decidir qual é a melhor opção para você.

 

BENEFÍCIOS DO TREINAMENTO FUNCIONAL

 

1 – VARIEDADE

Diferentemente da musculação, o treinamento funcional tira a pessoa da rotina, com movimentos mais naturais e menos mecânicos. O praticante tem um treino muito mais dinâmico. Por isso o funcional é muito procurado por quem não gosta de academia e aparelhos.

 

2 – FORTALECIMENTO DO CORE

Uma das bases do treinamento funcional é o fortalecimento do core, os músculos do tronco, que envolve abdômen, quadris, região lombar. Os treinos funcionais trabalham o core em todos os exercícios, não só nos abdominais.

Dificilmente as pessoas treinam esses músculos de forma correta na musculação. E com o tempo, pode haver uma compensação errada de um dos lados do corpo, chegando até a ocasionar problemas de hérnia de disco e má postura.

 

3 – DENTRO DA ACADEMIA E FORA TAMBÉM

O trabalho de musculação geralmente acontece dentro de uma academia, com pesos e aparelhos específicos para cada músculo que será trabalhado.

Já o funcional pode ser feito nos mais variados locais: academias, parques, praças, praias etc. Basicamente, qualquer lugar com um pouco de espaço livre.

 

4 – CORPO MAIS HARMÔNICO

Vale lembrar que o foco do funcional não é a hipertrofia, o ganho de músculo localizado. Por isso mesmo, as cargas de treino nos poucos aparelhos de funcional são menores. O aluno na maioria das vezes usa o peso do próprio corpo para executar os exercícios.

Isso tem algumas vantagens, entre elas a melhora da postura e definição, além do ganho de massa muscular de uma forma mais natural e harmônica.

 

5 – DESENVOLVIMENTO DE HABILIDADES ATLÉTICAS

Os exercícios funcionais vão encontrar o atleta que existe dentro de você!

Por ser baseado em movimentos naturais do corpo, como pular, correr, puxar, agachar, girar e empurrar, você irá desenvolver habilidades atléticas que serão úteis em qualquer esporte.

Você irá ganha força, equilíbrio, flexibilidade, condicionamento, resistência e agilidade. Se já pratica algum esporte, o funcional é um ótimo complemento para melhorar seu desempenho esportivo.

 

DESVANTAGENS DO TREINO FUNCIONAL

Como você deve ter percebido, a modalidade funcional é um pouco mais complexa do que simplesmente aparecer na academia e fazer musculação em aparelhos.

Essa complexidade tem toda uma série de vantagens, como você viu, mas também traz algumas desvantagens e exigências. Vamos ver quais são…

 

1 – NÃO É IDEAL PARA INICIANTES OU SEDENTÁRIOS

Se você já viu ou participou de um bom treino funcional, deve ter percebido que há alguns movimentos mais complexos e/ou explosivos na aula.

Assim, alunos iniciantes ou sedentários podem ter dificuldade para realizá-los adequadamente, seja por falta de condicionamento, força ou flexibilidade/mobilidade.

Isso não quer dizer que se você estiver muito fora de forma não vai poder fazer alguns treinos funcionais. Mas é bom saber que você só vai tirar o máximo dos treinos quando estiver apto a realizar os exercícios com plenitude.

Por isso, é importante o acompanhamento de um instrutor experiente e qualificado, assim em pouco tempo você já estará tirando o máximo proveito do treino.

 

2 – PROPORCIONA MENOS GANHO DE FORÇA DO QUE CROSSFIT OU MUSCULAÇÃO

O foco do treinamento funcional é mais voltado para o condicionamento físico geral e há menos trabalho específico com pesos do que nos treinos de musculação ou mesmo no CrossFit.

Isso por si só não é ruim, mas se o seu objetivo é hipertrofia ou ganho de força (e não envolve condicionamento ou emagrecimento), o funcional não será a melhor escolha para você.

 

3 – EXIGE ACOMPANHAMENTO DE UM PROFISSIONAL ESPECIALIZADO

As aulas de treino funcional exigem acompanhamento de um profissional capacitado.

Ao contrário das academias de musculação, onde os aparelhos simplificam as coisas, nesse tipo de modalidade é importante estar sendo monitorado por um profissional especializado em funcional, capaz de orientar a execução correta dos exercícios.

Isso obviamente tem um custo, por isso o treino funcional costuma ser mais caro que uma academia normal de musculação.

 

4 – OS RESULTADOS DEPENDEM MUITO DO TREINADOR

Para tirar o máximo do treinamento funcional, no fim das contas, você vai precisar encontrar um treinador bem capacitado. Porque para conseguir resultados é preciso:

  • Treinos intensos
  • Programação adequada
  • Olhar atento do treinador

 

SOBRE A INTENSIDADE:

Alguns são bem puxados, e outros são bem menos intensos, mais focados em fazer o aluno se mover e ganhar ritmo. Quem é capaz de determinar a intensidade adequada para o aluno e o estimula a dar o máximo de si é um bom treinador.

 

SOBRE A PROGRAMAÇÃO DOS TREINOS:

É preciso que ela seja adaptada ao nível do aluno e acompanhe sua evolução. Incluir exercícios que o aluno não consegue executar corretamente pode aumentar o risco de lesão e desestimulá-lo a continuar treinando, além de prejudicar os resultados.

Da mesma forma, ficar usando uma programação pré-pronta com alunos que estão com maior nível vai acabar atrasando sua evolução. A solução para isso: encontrar um bom treinador.

 

SOBRE O OLHAR ATENTO:

Os movimentos do funcional são complexos e é comum os alunos começarem a executar de forma incorreta os exercícios no meio dos treinos, quando o cansaço começa a bater.

Se o treinador não estiver atento e permitir que os alunos façam movimentos de forma inadequada, isso vai aumentar o risco de lesão, além de prejudicar também os resultados.

Por isso, recomendamos fortemente que sua sessão de treinamento funcional seja sempre feita sob supervisão de um profissional competente.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>